O Trabalho (A legislação trabalhista em Santa Cruz, país ideal)

Lontras, 28 de fevereiro de 2010

De:  Wenceslau F. Guimarães Jr.

Na Parábola dos Talentos Cristo ensinou sobre o dinheiro e repreende e condena o servo inútil que não trabalhou com o dinheiro que lhe fora confiado.https://i2.wp.com/i.s8.com.br/images/books/cover/img2/131642.jpg

Além disso, a parábola nos fala de virtudes, que alguns têm mais e outros não têm na medida competente.

Outras questões sobre competências e finalidade do dinheiro SS. Pio XI em Quadragésimo Anno, afirma:   “É necessário que as riquezas, em contínuo incremento com o progresso da economia social, sejam repartidas pelos indivíduos ou pelas classes particulares, de tal modo que se salve sempre a utilidade comum, de que falava Leão XIII ou, por outras palavras, que nada se prejudique o bem geral de toda a sociedade.”

“Hoje, porém à vista do clamoroso contraste entre o pequeno número dos ultra-ricos e a multidão inumerável dos pobres, não há homem sensato que não reconheça  as gravíssimas aberrações da atual repartição da riqueza.”

Em um país ideal criou-se um instrumento para o seu desenvolvimento justo – a reserva econômica, aliada a outro instituto como o imposto único.

O conceito cristão de sociedade gerou credenciamento de firmas com tecnologias modernas, ética, qualificação profissional, imposto somente para a pessoa jurídica, desemprego zero e educação plena.

A idéia, na educação plena, é luz e força, é energia, é estímulo, é alegria de vida, princípios dominantes da sua economia social.

Elevar qualquer bem criado à categoria de fim último é erigir, no nosso interior, um ídolo em lugar de Deus; é nos colocar a serviço do que nos deve servir.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica 2010, no Brasil, nos ensina sobre ECONOMIA E VIDA, e cujo lema é “Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro”https://i1.wp.com/2.bp.blogspot.com/_MO6EKIKGuFc/Sa6_jeO8mJI/AAAAAAAAAcQ/6h5BZn50gEI/s400/Deus+dinheiro.jpg

Um significativo princípio sobre economia nós encontramos  na Constituição Pastoral “Gaudium et Spes” – “a finalidade da produção não é o mero aumento dos produtos, nem o lucro ou a dominação, mas o serviço do homem, atendida a hierarquia das exigências de sua vida intelectual, moral, espiritual e religiosa.”

Ainda SS. Papa Leão XIII afirma que não pode haver capital sem trabalho, nem trabalho sem capital.

A legislação trabalhista em Santa Cruz, país ideal, se constitui de uma codificação abrangente para toda a atividade produtiva e de serviços. Se o operário tem compromissos de trabalho também o gerente o tem em suas atribuições específicas. Trabalho é uma atitude do homem em um empreendimento, civil ou militar, da iniciativa privada ou pública, artística ou religiosa, servente ou empresário.

O conceito de trabalho deve traduzir a dignidade do homem como imagem e semelhança de Deus.

A empresa em Santa Cruz não é uma propriedade particular, mas um instrumento de um grupo de pessoas para realizar um empreendimento.

Toda a atividade econômica está ligada a uma pessoa jurídica, seja uma grande empresa ou um profissional liberal individual.

A reserva econômica age ampliando o empreendimento e premiando o êxito de cada um através de dois fundos:

  • Fundo de participação
  • Fundo de desenvolvimento

Um terceiro instituto além do trabalho e da educação está a Justiça, esta que permite, através de três pontos:

  • Estrutura  do judiciário
  • Informatização
  • Identidade social

Todo o poder emana do povo e em seu nome é realizado, o que traduz uma defesa significativa do trabalho honesto contra a corrupção ou abuso do poder.

Anúncios

MINHA VIAGEM PELO PAÍS IDEAL (Parte 3 de 3)

A questão social – centro da vida

No Evangelho de Jesus Cristo, Nosso Senhor, segundo São Mateus, Capítulo 22, versículos 37 a 40, os dois mandamentos resumem toda a Lei e os profetas.

As estações de parada do megatrem não são apenas pontos do percurso em que o sistema viário se dirige às grandes cidades mas, aí se criaram mini-cidades com uma Universidade, hotel, supermercados, escritórios com instalações tipo apart-hotel, internet, correios e  sala de reuniões com todo um equipamento de comunicações através de computadores.

O Judiciário em Santa Cruz analisa os processos através de programas informatizados.

Dizem na ficção científica de um túnel do tempo que leva o personagem para o passado ou para o futuro  Em Santa Cruz os artifícios fraudulentos, em qualquer área de atividade,  são cuidados através de uma instituição judiciária definida em três pontos de natureza pedagógica:

  1. Estrutura do judiciário
  2. Informatização
  3. Identidade social

Toda a riqueza deve ter como objetivo a partilha, a justiça.  Esta riqueza traz a felicidade.  “A raiz de todos os males é o amor  ao dinheiro. E pela cobiça, alguns se desviaram da fé e vivem atormentados em muitas aflições.” 1 Tim 6,10

Um país atrasado socialmente pode ser um país rico na sua natureza e esta vai ser explorada de forma agressiva ao meio ambiente. Quando as almas não se elevam, o desenvolvimento material não passa de um simulacro de civilização – é a civilização pagã.

As minorias exploradoras do povo repetem os erros do século passado e anterior quando por um determinismo cosmológico tentam explicar as suas decisões com ciências metafísicas ou estatísticas ou até pela mecânica, armando os seus assaltantes contra a fortaleza da liberdade.  Para acolherem a injustiça o Judiciário não deve estar organizado, mas, principalmente ignorarem o tempo, porque o seu objeto é favorecerem uma minoria exploradora. A questão social, com base na verdade, é substituída por sofismas de seitas filosóficas ou religiosas. O fator econômico, ou poder econômico,  das doutrinas neo-liberais decidem nesse Judiciário.  Afirma o Padre Leonel Franca, em “Liberdade e Determinismo”:

O determinismo é ainda doutrina dos ineptos, dos preguiçosos, de toda essa legião de cobardes que, sob a capa de uma pretendida irresistibilidade do ambiente, capitulam  ante o vício e fogem dos nobres e generosos combates da vida  moral; é a doutrina que prega o respeito ignominiosos dos fatos consumados, é enfim a doutrina que mais diametralmente se opõe a verdadeira civilização.”

Degrada-se nesse determinismo, o homem, num revoltante e absurdo monismo que é uma concepção dinâmica de unidade de todas as forças da natureza, reduzida ao só fenômeno da matéria e a inexistência do espírito. A civilização cristã, pelo contrário, começa pelas almas, trabalhando-as, elevando-as, educando-as na prática do bem e da virtude. Depois da graça de Deus, a liberdade do homem é o fator mais importante e decisivo.

Os processos ao se apresentarem sem a documentação competente, quer sejam provas documentais ou testemunhais voltam para as partes completarem a ação. Ela está ligada ao respectivo código , seja cível, criminal, trabalhista ou outro específico, o qual já dispõe de um pré-julgamento e isso produz a sentença preliminar.

O rito processual concluirá através dos pré-julgados, análise informatizada e participação objetiva das partes em poucos dias ou semanas.

A má fé, a falsidade ideológica, proteção de qualquer das partes pelo julgador constituem ilícitos que promovem novas ações.

No roteiro do megatrem passamos pela estação-cidade Santo Ambrósio, nome escolhido que lembra um defensor da comunidade de bens. Ambrósio angustiava-se  muito ao ver crescer sempre mais nos homens a avareza, raiz de todos os males sociais e pregava a amoral nop uso dos bens temporais que assim promoveria  nos homens a conversão pelo domínio da razão sobre a paixão. O direito em Santa Cruz  procura defender o cidadão do que chamamos “pleonexia” que é uma palavra grega que  significa excesso como é a avareza, a corrupção, o roubo, o imperialismo internacional, a violência e a luxúria, nuances de homens e mulheres inferiores.

Autor: Wenceslau Guimarães

MINHA VIAGEM PELO PAÍS IDEAL (Parte 2 de 3)

A questão econômica – investimentos.

Os insumos da agricultura e pecuária, produzidos para o mercado interno e exportação exigem um transporte  tal que a antiga estrada de chão batido e mais adiante asfaltada ou em concreto não mais atende ao volume de produtos.

O megatrem é a solução. Ele é rápido e de capacidade conveniente. O megatrem sendo movido com motores elétricos é importante para a preservação do meio ambiente. O valor agregado significa aperfeiçoamento do sistema produtivo e é o referencial para o cálculo do imposto único.

https://i1.wp.com/www.eldorado-antiquariat.de/IMG/eldorado-bild.jpgOs economistas em nível internacional discutiam a lei da oferta e procura e  esse parâmetro era em muitas economias uma armação que retratava o domínio do capital sobre o trabalho. Em Santa Cruz perseveravam que o trabalho é a riqueza  que gera capital, tecnologia e administração. Assim uma equipe de especialistas em transporte demonstrou que em dez anos, devido ao crescimento demográfico ou também as exportações, haveria o colapso no sistema de transportes. Como fazer?

De início o hiperbus resolveria os deslocamentos urbanos porque ele além de grande capacidade e rapidez utiliza uma via  expressa em segundo nível, também movido por motores elétricos, trilhos para as rodas equilibrantes e uma faixa de material magnetizado  que é o responsável para suportar o veículo e assim eliminar o atrito  que em consequência vai baixar o consumo de energia.

O hiperbus conduziria também os passageiros para as grandes estações-cidades do megatrem. Os carros particulares consomem 13,1 kWh por passageiro contra 0,52 do metrô ou megatrem 0,9 do hiperbus. Concluíram que a projeção de dez anos estudada resultaria, sem as medidas no sistema de transportes, a emissão de milhares de toneladas de dióxido de carbono por ano e o aumento do efeito estufa.

O megatrem com dez vagões de carga substitui, em volume, 60 carretas que multiplicadas por um fator 2,5 em favor do primeiro pela sua grande velocidade e outro fator 1,5 a 2,0 devido a sua mobilidade embarque/desembarque chegamos a substituição de 225 carretas por hora, cada composição do megatrem.

A análise econômico-social de um país com atenção ao cidadão não podia ser vencido pelo marketing dos fabricantes de veículos movidos a álcool ou gasolina ou diesel, estes que fazem o negócio cada vez maior na indústria do petróleo. O megatrem para passageiros substitui em espaço útil a 40 ônibus que multiplicados por um fator 3 de velocidade e um fator 1,5 para o embarque/desembarque nos dá um valor de 180 ônibus por hora, cada composição.

O mega-investimento em Santa Cruz definiu o uso de uma segunda moeda com circulação limitada para evitar a inflação. Após algum tempo a segunda moeda é convertida para a moeda principal porque a produção no país já atende à procura.

Notável economista, prêmio Nobel, desenvolveu uma teoria com armação na idéia capitalista e diz que a ciência econômica trata da vida humana e não se presta a respostas simples e exatas. Max Planck, prêmio Nobel de Física diz que desistiu de ser economista por achar a matéria muito difícil. Bertrand Russel abandonou a economia por ser fácil demais.

Autor: Wenceslau Guimarães

MINHA VIAGEM PELO PAÍS IDEAL (Parte 1 de 3)

https://i2.wp.com/www.huttoncommentaries.com/subs/Other/EquatorialAtlantis/AtlantisOutline.jpg

Lontras, 23 de outubro de 2008

  • Datas
  • Locais de passagem
  • Pontos importantes em destaque
  • Condições do clima
  • Desempenho dos diversos meios de transporte

Porque  SANTA  CRUZ  Como Surgiu o Dinheiro

Em uma viagem pela estrada os pontos importantes são a própria estrada, locais de parada, sinalização, meios de transporte, pousadas, restaurantes e toda uma paisagem natural com os bosques, as serras, túneis, o clima, o ar, e a chuva. Em alguns pontos a cidade se aproxima da estrada. São alguns prédios, e ruas. A arquitetura e construção desses prédios seguem o sistema wence de moradia econômica, este que utiliza a pré-fabricação, flexibilidade nas plantas e modulagem do conjunto.

Santa Cruz nos fala de um desenvolvimento de país onde o trabalho é o fator dinâmico a considerar.

As chuvas mais intensas influem no desempenho do automóvel, dos ônibus, e dos caminhões.

Uma reflexão sobre todo o conjunto de situações econômicas, sociais e de tecnologia nos conduz a alguns pontos de definição para o bom entendimento do problema:

A engenharia e urbanismo – meio ambiente

A questão econômica – investimentos

A questão social – o centro da vida

Nesta viagem  pude ver a estrada e as cidades sob  um sentido crítico

porque escrevi um livro sobre esse país.

A engenharia e o urbanismo – meio ambiente.

No país que estamos mostrando o seu povo desenvolveu a cidade e as estradas segundo critérios em que a finalidade social de tudo está presente, desde os projetos do urbanismo até as estradas e meios de transporte.

É comum no início em que se dá a colonização de uma região a cidade surgir próximo aos rios. Quando os grupos de colonos desenvolvem a sociedade urbana, a estrada vai definir novas cidades nas suas proximidades. Se é importante os deslocamentos de pessoas, da mesma forma  essa estrada vai servir ao deslocamento dos produtos quer do campo ou da fábrica até o mercado consumidor e ao porto para o embarque nos navios.  Em um estágio mais avançado a estrada não é mais uma pavimentação sobre o chão natural, mas uma infra-estrutura para o deslocamento de supertrens, ora de passageiros com velocidades da ordem de 300 km/h, ora composições, para o transporte de cargas em grandes quantidades e a utilização de containeres, acondicionamento prático para chegarem aos navios. Assim aconteceu com o projeto megatrem, transporte movido com motores elétricos.

A novidade na estrada é que ela se transforma em uma máquina simples dotada de fundações, superestrutura com  trilhos equilibrantes para o veículo, e faixas magnetizadas para eliminar o atrito.

Autor: Wenceslau Guimarães

Continua…